Conquistas

Pequenas vitórias que por muitas vezes passam despercebidos em nossa rotina robotizada…

Vi uma pequena história em quadrinhos ontem, mas infelizmente me esqueci de salvá-la e agora minha memória não me deixa lembrar da origem :( Era uma história curta 4 ou 5 páginas, não sou ilustrador então escreverei o que me recordo e caso alguém saiba a fonte, por favor me diga que eu edito por aqui…

Era mais ou menos assim:

" Quando nasci minha mãe me chamou de "Perfeito". Grande erro dela, pois eu era careca.

Assim que meu cabelo começou a crescer, dava pra ver que eu era banguela.

Meus dentes nasceram, mas eu não sabia andar…

Aprendi a andar!  …não sabia falar…

Falei! …então eu não sabia ler…

Comecei a ler, mas eu era apenas uma criança, queria ser adolescente…

Veio a puberdade, me vi cheio de espinhas e BV…

Beijei algumas gurias, mas não namorei nenhuma…

Me sentia burro, então estudei para entrar na faculdade…

Na faculdade percebi que precisaria trabalhar…

Trabalhei muito e acabei não curtindo minha vida tanto…

Casei, mas após um tempo percebi que não tinha filhos…

Tive filhos, mas então eu precisaria trabalhar mais ainda para sustentá-los…

Me aposentei e me senti inútil…

Morri.

Passei a vida toda tentando ser o que eu não era e acabei sendo NADA.”

A história ilustrada era bem bacana, e não sei se me lembrei de todos elementos, mas o meu intuito é compartilhar a “desautomatização”;

Vivemos hoje muito em função de valores gerais e que “todo mundo faz”…Todos passamos por situações parecidas na vida, o que nos diferencia é como lidamos e enxergamos cada uma dessas situações. Na escola (para todos que frequentaram uma) tinha o grupinho das meninas que se juntavam e faziam fofoca, tinha os seus brothers, tinha os brothers dos seus brothers, tinham os conhecidos que tu dava um “e ae” as vezes, tinha aquela guria que tu queria beijar ou apertar seus peitos ou seilá, qualquer coisa que sua imaginação permitisse, todos tiveram situações similares; Grande parte do pessoal que fez faculdade comigo trabalhava, inclusive tirando do trampo o dinheiro da mensalidade, claro que sempre que possível curtíamos, mas eu conheço poucas pessoas que nasceram em berço de ouro a ponto de torrar dinheiro a vontade sem ter consequências desastrosas ( LIS, cartões de crédito estourado, empréstimos, serasa, etc etc)…

Me perdi um pouco do tema, então retomarei pontuando meus exemplos. Todas vezes que mudei de sala, ganhei novos amigos e ainda assim mantive na maioria das vezes o meu “grupinho de brothers antigo”, em situações diferentes agora, no recreio, em algum evento da escola, shoppings ou algo do gênero. Eu conquistei amizades novas e mantive antigas, mas na ocasião com certeza eu não percebi isso. Hoje eu percebo como é dificil ter amigos de verdade, porque minha prioridade não é mais ter alguém para copiar lição de vez em quando ou compartilhar informações durante a prova, hoje tenho contas a pagar, compromissos profissionais, viagens, botecos, tarefas que um amigo possivelmente conquistado nesse período se encaixaria muito bem, no entanto desconfiamos de todos, nos protegemos e ficamos dentro de um casulo limitando contatos com pessoas que poderiam trazer experiências positivas e porque não tornar-se uma amizade verdadeira assim como aquelas que conquistamos na infância/adolescência.

Claro que não conseguimos beijar ou ver/pegar nos peitos de todas meninas de nossa adolescência até porque muitos de nós se víssemos um sutiã em um poste iriamos pensar besteira. Hormônios a mil e vontade de desbravar o desconhecido proporcionavam esses pensamentos e comportamentos, mas sim, definitivamente beijamos algumas gurias, alguns mais outros menos, mas todos tivemos experiências de acordo com nossas atitudes e na época definitivamente nenhum de nós deu importância a isso, que não deixa de ser uma conquista…

Pagar as contas em dia é uma conquista na realidade atual. É muito foda.

Trabalhar, fazer faculdade (estudando de verdade, não indo ao local pedindo para alguém assinar por você e indo pro bar) e ainda arranjar algum tempo para relaxar e se divertir é praticamente um milagre, e pasmem, conheço pessoas que fazem isso. Admiro esse empenho dessas pessoas.

Eu admiro as conquistas alheias, já expressei isso por aqui de outra maneira…Acho muito foda olhar a trajetória de alguém que com todos empecilhos que TODO MUNDO ENFRENTA EM QUALQUER COISA QUE ELA QUEIRA FAZER ainda assim ela seja bem sucedida. Admiro a vitória das pessoas. Isso me inspira e motiva de uma forma muito bacana.

Em minha trajetória ao MMA terei uma etapa importante na semana que vem dividas em dois dias: farei meu teste de graduação no Muay Thai na segunda e quarta-feira (25 e 27 de agosto), confesso estar um pouco nervoso, pois apesar de ter treinado bastante e ainda estar treinando, avaliações me deixam um pouco ansioso e acelerado, para quem pratica esportes sabe que ansiedade não é muito bom e para quem pratica lutas, sabe o quanto ansiedade pode atrapalhar “no gás”, estou com medo de não ter fôlego suficiente no dia que mais preciso…estou trabalhando meu lado psicológico e vai dar tudo certo…espero.

Será minha primeira “grande” conquista desde que comecei a documentar essa trajetória ou pelo menos a que eu mais estou ansioso para que aconteça, sei lá…

Me embaralhei um pouco nos pensamentos hoje, mas escrevi tudo de coração e mente aberta.

Tchau.

- JACK